Utilizando a água de maneira sustentável

Utilizando a água de maneira sustentávelEm diversos momentos aqui no site, foi possível conversar sobre o uso consciente da água e da preocupação que temos de ter quando não existe um cuidado para a sua escassez. Em outras palavras, todos os indivíduos devem ter em mente sobre como utilizar a água de maneira sustentável.
Isso se deve por questões como a sua baixa disponibilidade, visto que, a água, como sabemos, trata-se de um recurso que encontramos na natureza e que contém valores econômicos, sociais e ambientais. Em outras palavras, é um líquido mais do que essencial para a vida e para a economia, embora nem todos parecem ter tido uma percepção total sobre o seu real valor na vida humana.


Em termos de quantidades
Estudiosos estimam que há um volume estável de água em todo o planeta Terra, porém, quanto a sua disponibilidade, existe uma grande variação. O que se sabe claramente é que o planeta conta com cerca de 97,5% de água salgada, presente em sua totalidade nos mares e oceanos; contando com apenas 2,5% de água doce. Sendo que, dentro de toda esta porcentagem, ainda conta com 1,72% de todo o líquido congelado nos polos do Sul e Norte; além de estar presente nessa forma sólida também no topo das montanhas. Outra pequena disponibilidade pode ser encontrada também nos ambientes subterrâneos.
A água constitui ainda os organismos vivos como animais e plantas, restando apenas 0,01% do líquido nos rios, lagos e represas.
Mas vale lembrar que, mesmo em locais que hoje a água está presente de forma abundante, pode se tornar escassa com o passar dos anos. Alguns fatores que contribuem para que isso aconteça, são a poluição, mudanças climáticas, dentre outros fatores provocados por atividades humanas.

Diversas utilizações
Atualmente, a água é explorada em diversos sentidos para usos variados, como na geração de energia elétrica, nos setores agropecuários e na indústria, ainda para consumo doméstico, dentre outros. E é exatamente aí onde mora o problema. Esse uso excessivo do líquido mais precioso para a humanidade, acaba por gerar uma série de impactos ambientais, provavelmente irreversíveis.
Isso nos leva a pensar que é mais do que necessário que o poder público concentre suas forças para garantir que esse líquido natural tão essencial à vida humana, esteja disponível de maneira permanente também para as próximas gerações.
Mas antes que o desespero tome conta e acabe gerando uma calamidade pública, saiba que já existem alguns estudos de especialistas e ações governamentais para que a água não se torne escassa no planeta. Por exemplo, em 1996, foi assinado o tratado chamado World Water Council (Conselho Mundial da Água), que uma vez por ano, convoca reuniões para debater no Fórum Mundial da Água o destino e as ações para tornar a água disponível para todos, formado por um grande número de países. Aqui no Brasil, existe a regulamentação da água pela Lei 9433, de 1997, instituindo a Política Nacional de Recursos Hídricos e o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, que dessa forma, criou uma estrutura que faz um gerenciamento integrado das águas.

A água é para todos
Ao contrário da terra, a água não pode ser considerada um patrimônio particular para ninguém. Sendo assim, de acordo com a Lei, todos os lagos, rios ou qualquer forma de nascente e cursos do líquido são considerados públicos. Isso se deve pelo fato de que a água está presente de maneira abundante e conta com uma diversidade grande do uso, como citado anteriormente.
Dessa maneira, qualquer interferência que venha a prejudicar esta quantidade ou qualidade, passa a ser responsabilidade do poder público. Pois toda e qualquer atividade realizada próximo às margens desses locais, as chamadas APPs (Áreas de Preservação Permanente), devem ser fiscalizadas para garantir que essa qualidade do líquido nunca seja prejudicada por ações humanas, mas como sabemos, infelizmente, isso nem sempre acontece e vemos rios e lagos próximos a áreas urbanas completamente poluídos.

A união da água com as matas
Pode não parecer num primeiro momento, mas quando você para e pensa, a preservação da água está completamente interligada com a proteção das matas. Ou seja, quando as árvores extraem os nutrientes do subsolo, por meio de suas raízes, ocasião em que fazem o transporte da seiva até as suas copas e quando transpiram por meio das folhas, acabam deixando o ar ao seu redor mais úmido e, dessa maneira, formando nuvens, que por sua vez, acabam gerando o chamado volume de chuvas, que beneficiam tanto as regiões locais e as distantes, que especialistas chamam de ‘rios voadores’.
Por isso, a consciência sustentável deve ser pensada num todo, englobando toda a natureza, preservando a mata e as águas para garantir que possamos continuar bebendo água no futuro, que pode não ser tão distante assim.
Pense nisso!

    SOLICITE UM ORÇAMENTO

    Para solicitar um orçamento, preencha os campos.
    Retornaremos prontamente.